Arquivo da categoria ‘Polêmica’

Realmente, não perdoa. Sabe aquela bela frase “OMG como não pensei nisso antes?”… sim, ela serve inclusive pra zoeira e, quando a internet encontrou um nome em especial, oque aconteceu? #treta

Explicando de forma rápida, tudo começou quando ligaram um nome comum ao Zika vírus… e a vida online do Sr Chico Cunha nunca mais foi a mesma… #sacaessa: Um cara que tinha bastante coisas à fazer descobriu um perfil no Facebook e, como num passe de “mágica HUE” deu asas para a #Chikungunya…

1455823774692-1291264631

#a descoberta

1455823824446-659281344

#a ameaça

1455823915431-406782663

#a proliferação

1455823993423-1794399880

#o ataque

145582388873234369261

#o ultimo suspiro

1455824052730972179154

#a dedetização

 

Image

Existem pessoas e sites por aí elogiando a bela aparência e outros criticando bastante o tal do Windows 8, novo sistema operacional e grande aposta da Microsoft… alguns deles já até apostam em “sucesso ou fracasso”, como é o caso do site BGR que acredita que ninguém gostou do novo sistema simplesmente pela falta do menu iniciar… bom pra eles né? Pois aqui o buraco é mais embaixo…

A galera do TecMundo disse assim:

Apesar de ter tentado recuperar a função no Windows 8.1, a Microsoft ainda não agrada ao público mais fiel, que deseja um menu com os principais aplicativos abrindo diretamente na Área de Trabalho, como acontecia antes.

Isso nos leva ao segundo argumento contrário ao sistema operacional: apesar do visual moderno e de ser mais leve e exigir menos do processador, a interface Metro, especialmente na Tela Iniciar, ainda não conquistou o público. Aí fica a pergunta: será que a Microsoft vai voltar atrás e ouvir todas as reivindicações ou manter o plano de modernização e mudança?

Aqui no Tecmundo, você já conheceu métodos de ter um Menu Iniciar o mais parecido possível com o antigo. Essa pode não ser a solução definitiva para quem não gosta de nada do Windows 8, mas é um jeito de fazer com que você, aos poucos, desenvolva uma simpatia pelo sistema operacional.

A resposta mais coerente pra uma pergunta dessa seria: Só se a Microsoft for muito estúpida. Esse nariz torcido que os usuários microsoft tem para o novo SO é puro comodismo! É muito simples encontrar por aí pessoas que dizem “Eu odeio o Linux” ou “Linux é muito complicado de usar” simplesmente por estarem acostumadas com as velhas e bastante obsoletas telas do vovô XP. Comodismo este, que fez com que muitos usuários torcessem o nariz para o Windows 7 até começarem a usá-lo e perceberem que não era todo aquele poço de “não sei fazer” que eles sonhavam em encontrar pra poder criticar.

Será necessário citar a evolução do ruim Windows?

Image

É fato que ao lançar o 1.0 com um mouse que mexia na telinha P&B e trazer o conceito “multi-tarefa” na 3.1, aplicada na hiper-evolução dada no Win95, as pessoas ainda estavam em transição para a utilização ativa de computadores em diversos ambientes: casa, escola, trabalho… não necessariamente nessa ordem)… talvez o maior problema tenha sido a demora de implementar visuais novos, afinal, a Desktop vinha desde os primórdios e só agora foi substituída pela interface Metro, deixando o Iniciar com cara de Tablet… mas algúem parou pra pensar no próximo passo (integração entre PC x Laptop x Tablet x Celular)? Será a toa a expansão da Newkia (Nokia após ser vendida para a M$)?

Enfim, teorias e teorias… eu sou mais Linux, porém, (vish… agora vão me crucificar pelo skype) comecei a usar o Win8 em um HP com tela Touch que tenho aqui e não vou trocá-lo por outro sistema! Ele roda perfeitamente bem e não esquenta tanto! (quem conhece as máquinas HP com processador AMD (linha TX2550), sabe o real significado de “fritar as coxa” rsrsrs). Além disso, o visual moderno e leve tornou o meu obsoleto HPzinho numa máquina totalmente nova!

Eu não gostava do Windows 7 por se parecer muito com o XP… o Vista não vou nem perder meu tempo em falar… mas o Windows 8 me fez repensar e concluir: Sim. existe vida fora do Linux. Em expressão mais “nerd”: A Janela foi quebrada.Image

PS.: A atualização para o 8.1 trouxe melhorias significativas!

Beijo pra quem é de beijo e um abraço pra quem é de abraço.

russia… 6 meses atrás, um maldito amigo russo descobriu uma sequência de letras árabes e/ou persas que travam diversos sistemas iOS… mas… oque esta sequência realmente faz?

Em primeiro lugar, não se trata de “hack”. “Hacks” são códigos usados para desbloquear funções, dentre outras coisas ilícitas… e não “bugar” um aparelho, seja ele qual for… Segundo: Se você usa um Mac (iPhone, iMac, iPod, iPhode… iCarly… etc), provavelmente você tem tudo oque é necessário para seu sistema funcionar redondo, certo? Se não tem, ligue para a assistência agora!

#FicaDica: envie esse texto via SMS para alguém que tem um iPhone e ele ganhará um loop infinito no iMessenger… wow!   Gaddafi

Analisando, a sequência simplesmente causa um stack overflow assim que o sistema percebe a sequência de caracteres, ou seja, um simples estouro de memória que trava todo o sistema… só isso! … e… porque a iMercearia ainda não arrumou isso? Será que estão esperando o tio Jobs voltar no terceiro dia?

Pra quem tem curiosidade, o código é esse aki: سمووحخ ̷̴̐ خ ̷̴̐ خ ̷̴̐ خ امارتيخ ̷̴̐ خ

Traduzindo para leitura-fonética (leia os “r” como se estivesse fazendo gargarejo), está escrito:   Smu’rrr ‘k’rrrrr écs écs Amartyk’rrrrr écs … ou seja, não é uma palavra… é uma expressão que diz “Na Russia, o travamento pega o iOS”.

حتى أكثر شخصية

Matrix.jpgQuem já assistiu Matrix, levante a mão… Pois é… monte a imagem do filme na cabeça: Um hacker invade facilmente uma rede e consegue acesso fácil à contas bancárias, programas de TV, Sistemas elétricos da cidade… enfim, acesso pra tudo que esteja “online”. Fato: Coisa de Filme… ou melhor… não é bem por aí.

A NSA (Agência de Segurança Nacional, na sigla em inglês) antigo fruto de teorias da conspiração, recentemente foi o caso menos escandaloso que envolveu escutas telefônicas em território estadunidense. Mas… como assim “menos escandaloso”? Simples, e conspirador também: ninguém quer que você preste tanta atenção nisso. Tio San.jpgMas a real, é que essa agência tem algo ainda mais poderoso (e de certa forma assustador) na manga:

Trata-se do X-Keyscore, software projetado que diz ser capaz de acessar “praticamente qualquer coisa” em ambiente online.

A existência do programa foi revelada pelo agente da NSA Edward Snowden. Segundo ele, o X-Keyscore é capaz de vasculhar qualquer coisa através da internet — desde que essa coisa se utilize do protocolo HTTP.

Entretanto, embora a agência consiga pescar qualquer coisa do ambiente online, ela não necessariamente o faz… e o Seu Creisson agaranti! Segundo a agência, existe todo um protocolo necessário para se investigar alguém internet a fora: o agente interessado deve entrar com um texto, justificando o expediente… e não dependerá do aval de superiores ou de qualquer outro Zé Ruela, ou mesmo de alguma corte especial. Sim… eu também concordo que isso é bem pouco reconfortante.

RastreamentoConfira os atributos do poderoso X-Keyscore:

 

 

  • Realiza escutas em qualquer telefone — de forma praticamente instantânea —, podendo ainda registrar todo o histórico de emails;
  • Confere em tempo real cada passo que você dá em ambiente online;
  • Lê o email de qualquer um;
  • Monitora conversas no Facebook;
  • Vê praticamente qualquer coisa que você faz na internet; e
  • Obtém os endereços de IP de qualquer site com o protocolo HTTP.

Depois me criticam por usar a DeepWeb rsrs… 

PS.: Não. Eu não tenho esse software para download.

Sou Ráqui

Quando eu digo que o mundo é dominado por máquinas e que cada vez mais gente usa o computador pra pensar (ao invés de usar o cérebro), as pessoas dizem coisas do tipo: “Você está ficando louco!”, “Isso é filme de ficção!”, “Quero ver você resolver essa equação então”… pois bem, juntando vários fatos, vou provar que VOCÊ TAMBÉM está sendo dominado pelas máquinas… e que existe um Usuário no comando de tudo.

Sexta-feira, 21/12/2012… também conhecido como “o dia em que segundo o calendário Maia, o mundo vai acabar”, ou simplesmente como “amanhã”…

Considerando e levando a sério a minha profissão de “pensador” (Consultor de Administração de Empresas e Tecnologia da Informação, para os mais céticos), comecei buscando fatos: Pra saber como estariam os “grandes acontecimentos”, sintonizei uma uma TV Japonesa (sim… lá já é 21/12/2012) e não encontrei nenhuma notícia de fogo no céu, terremoto, onda flatulenta gigante… nem nada… idem para estações de Rádio e sites confiáveis da Internet surface e deep (entenda o termo “Surface e Deep” no post anterior).

Tecnologia digital esgotada, comecei a busca de evidências que poderiam me dar um gráfico dos acontecimentos… Liguei o cérebro no modo “on-demand” e, sem susto algum fui surpreendido pela frase: Surpresa!

Partindo do princípio que uma destruição em massa precisaria de um belo plano de negócios, um projeto bem estruturado e excelência no planejamento de atividades, descobri que o “Projeto Armagedão” está sendo desenvolvido por um gigante da indústria do Software!!! #Fatíssimo!!!

Pra quem ainda não entendeu, ou entendeu e está extremamente preocupado com o que poderá acontecer no futuro, eu afirmo: PODE SE ACALMAR.

Mais uma vez considerando apenas a minha experiência profissional, eu posso afirmar: Não. O mundo não vai acabar tão cedo.

Tecnicamente falando e detalhando o máximo possível, basta evidenciar todas as versões do projeto:

  • Ano: 1999. Versão 1.0 – Centuria X, Quadra 72 – Apelidada simplesmente de “Versão Nostradamus” – Apesar de bem estruturada, foram encontrados sérios erros nas saídas gráficas: A cruz não apareceu no céu ocidental e a humanidade não foi chamada à prestação de contas. Sem os sinais acima, o resultado foi simplesmente uma blue-screen-death, resolvida por um Ctrl+Alt+Del.
  • Ano: 2000. Versão 3.11 – Versão Nostradamus corrigida. Blue-screen permaneceu ao iniciar o sistema e a versão foi abandonada.
  • Ano: 2002. Versão 95 – Transformação total. Aplicação de novos ambientes e funcionalidades extremamente avançadas. A partir desta versão, o mundo poderia acabar em vários pontos de uma só vez (funcionalidade denominada “multi-tarefa”. A execução final desta versão foi simplesmente pausada devido à Copa do Mundo..
  • Ano: 2006. Versão 98 – Melhorias significativas em relação às versões anteriores, porém, apenas uma continuação do projeto 95… devido à correção de alguns Bugs, o que estava funcionando deixou de funcionar, gerando novos e intermináveis Bugs. Nova versão abandonada.
  • Ano: 2008. Versão Vista-se! – Todos os projetos anteriormente abandonados foram usados, contribuindo exaustivamente no peso desta versão. Há boatos que dizem que o nome “Vista-se” se refere à pouca usabilidade, deixando o usuário praticamente nú diante da execução, ou seja, sem recursos o suficiente para continuar utlizando o sistema.
  • Ano: 2011. Versão Seven O Clock. Utilizando a mesma plataforma da versão anterior, porém limpa, sem gambiarras e definitivamente livre de excessos de código, a versão de fácil uso trouxe à tona grandes elementos anteriormente esquecidos, como a aplicação Operário-presidente-cego. Novamente, por falta de recursos desviados principalmente no Brasil, a versão final precisou ser adiada, e a disponível para uso foi a “Release Candidate”, posteriormente substituída por cracks e hacks que mudaram-na para versão original, porém, sem a funcionalidade específica.
  • Ano: 2012. Versão Eight. Com novo visual, preço baixo, novos bugs, pouca compatibilidade e muitas correções para finalmente ser executada e desbancar a concorrência livre, os programadores esqueceram um ponto crucial desta versão: As diferenças de FUSO-HORÁRIO. Enquanto o mundo ainda aguarda seu lançamento, a blue-screen volta a dar as caras devido às diferenças de data e horário.

Finalizando, foram analisadas todas as versões já disponibilizadas e, estatisticamente falando, ninguém precisará se preocupar até o lançamento da nova versão, prevista para Fevereiro de 2019 e ainda sem um nome definido. Portanto, leitores, continuem vivendo intensamente… eles usam o Fire-scrum no desenvolvimento e tecnologias de Rugbe pra derrubar a concorrência… logo, um dia eles acertam a versão e o Usuário, quem sabe, consegue executar a única funcionalidade desse tal sistema, não é mesmo?

Curtam as baladas do fim do mundo… e não se encham de dívidas!

Muito tem se falado sobre “o lado escuro da internet”, mas pouca gente acredita que isso exista: Um “novo” mundo virtual onde não existem regras. O único lugar onde é possível uma pessoa “comum” aprender a fazer bombas ou compras no mercado negro… parece um novo episódio de Matrix, mas na verdade, trata-se da DeepWeb (traduzido a grosso modo para “Internet de Baixo”, ou “A Internet do Submundo”). Mas e aí? Mais uma teoria de conspiração? Mais uma viagem do homem pra ficção científica? A resposta é simples, fechada e direta: NÃO.

Vou usar dois termos, que vocês já viram no título deste post: Surface e Deep (superfície e profundezas… woww!!)… imagine um Iceberg: Surface é a parte visível acima da água… Deep, é o monstro que existe por baixo, que inclusive, afundou o Titanics 2 vezes (na primeira versão e na versão 3D, onde o Jack morre de novo… aff!)…

Filosofando na Bíblia:

… subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. E contudo levado serás ao mais profundo do abismo. Isaías 14:12-15

hells_gatesO trecho acima, faz referência à “criação dos dois mundos – o Céu e o Inferno”… e não foi por acaso que eu o utilizei: A DeepWeb, existe desde os primórdios da web, e nada mais é que o “lado negro da força”. Porque esse rótulo? Mais uma resposta simples: Lá, tudo é permitido. Na DeepWeb, é mesmo possível encontrar tudo oque dizem por aí: da tradicional comida mexicana apimentada à inacreditáveis pratos da culinária canibal – com direito à receita e vídeos ensinando o preparo do prato.

Mas não só de retardadices funciona o mundo de baixo… lá, também é possível encontrar softwares, games, dicas, e uma infinidade de coisas extremamente úteis e que realmente funcionam. Enquanto na Surface, ou também apelidada de “Internet Comercial” você faz uma pesquisa e recebe de volta “apenas” milhares de dados filtrados, de conteúdo genérico e direcionado (genérico por poder atender à pesquisa de diversas pessoas em diferentes pesquisas… direcionado por conta dos motores de busca que vivem colhendo informações do seu uso da web… não é a toa que diáriamente você recebe dicas de compras de coisas que já procurou na net…), na Deep com a mesma pesquisa você pode encontrar coisas supreendentes…. um exemplo? Na Surface você procura simplesmente por “Assalto a Banco” e recebe uma infinidade de notícias de assaltos que ocorreram e outra infinidade de filmes que tem a ver com o tema… na Deep, a mesma pesquisa resulta inclusive em plantas baixas dos prédios dos bancos, formas de invasão de cofre, dicas para domínio dos reféns e, pasme, como agir se for preciso o extermínio em massa dentro da instituição… quem deve morrer primeiro!? o.O

Porém, este “outro lado” precisa também de “outra forma” pra navegar… Na Deep, não é tão simples como parece… lógico!

URL’s de sites da Deep são totalmente diferentes das URL’s da Surface… e com “totalmente” eu quero dizer que lá, simplesmente não dá pra ler o nome de uma URL… volto a frisar: O mundo de baixo não é um ambiente “família”… muito menos um ambiente amigável.

Talvez pela quantidade de curiosos que acessam a Deep diariamente, o site mais visitado por lá é uma espécie de Wikipedia daqui, onde podem ser encontradas mais informações sobre o submundo web e também dicas de conteúdo de sites (de lá, lógico)… vale lembrar, também, que aqui na Surface, não é possível acessar um site da Deep… (lembra que eu falei da URL alí em cima? o endereço da WikiDeep é: kpvz7ki2v5agwt35.onion/wiki/index.php/Main_Page … bonito nome pra se colocar num site e ganhar publicidade com quantidade de acessos né? Tente usá-lo em seu navegador… ele não será encontrado.

IMPORTANTE: na Deep, 99% do material útil e/ou relevante está em INGLÊS. Esqueça os tradutores pra navegar por lá, pois existem várias gírias que podem confundir tudo… o ideal é estudar o idioma mesmo…

Outra coisa de importância absoluta: NÃO TENTE acessar a Deep USANDO WINDOWS! Não é por preconceito… creio eu que nem preciso explicar os motivos, né?
Para usuários comuns, existe uma distro Linux chamada TAILS, disponível para download aqui: https://tails.boum.org/download/index.en.html esta distro contém os principais métodos de segurança já habilitados e pré configurados, além de não requerer instalação… você pode rodá-la via LiveCD ou LivePen… quem tiver dúvidas na criação e/ou utilização desses Lives, me avise que posto algo explicando tudo…

Agora, se você não quer seguir o meu conselho e pretende se aventurar pelo submundo com o sistema operacional que tem aí, fica por sua conta e risco… existe um pacote para FireFox disponível para download chamado TOR, que, em outras palavras, te abre o “caminho pro inferno” rsrsrs… o pacote, pode ser baixado direto no site do Project Tor: https://www.torproject.org/download/download-easy.html.en … falarei mais sobre o Project Tor em um post mais apropriado… talvez ainda essa semana…
A navegação na Deep é triangulada – o navegador manda a request para o servidor, porém, no caminho e antes de chegar ao servidor, esta request é criptografada e redirecionada a outro país, assim, o IP que chega na Request não é o da sua máquina nem o da máquina anterior… nem de ninguém: a navegação fica mais lenta mas o anonimato é, praticamente, 100%. Em outro post explicarei como isso funciona também…

No pacote baixado, vem uma versão portátil do Firefox, ou seja, você não precisará instalar nada… porém, principalmente se usa Windows, MacOS ou alguma versão comum do Linux, aconselho rever suas opções de segurança: Firewall e Antivirus bem configurados e atualizados são de grande valia.

Ao entrar na DeepWeb pela primeira vez, tudo pode parecer ao mesmo tempo simples e confuso: você conseguirá realizar pesquisas e obter dados da Surface, as vezes até demais… porém o mais interessante são os sites de lá… voltando pra WikiDeep, copie e cole este endereço no seu Tor: kpvz7ki2v5agwt35.onion/wiki/index.php/Main_Page … leia bastante… entenda e só depois navegue menos preocupado (mas não tranquilo) por lá.

Atenção leitores: Este post é sério e real. A DeepWeb não é um ambiente fictício!!! coisas acontecem de verdade por lá: vírus, antes de serem disseminados na Surface, são testados na Deep… ou seja: clique nos links por sua conta e risco, e anote meu telefone e email, caso precise de reparos 😉

Ahhh!!! E não clique em links contidos em rodapés de páginas da Deep!!! #FicaDica 😉

Pois é… o programa de cotas das universidades paulistas (USP, UNESP, UNICamp…) contará com bolsa de um salário mínimo e curso preparatório… isso cheira a reeleição e se resume em uma equação composta por falta de bom senso, alienação, falta de caráter e cegueira aguda do povo… não quero menosprezar ninguém, mas se um aluno realmente tem interesse na universidade pública, ele vai se esforçar pra provar que consegue. Conheço muita gente que sempre ESTUDOU em escolas públicas e ao invés de se lamentar, batalhou e conseguiu a tão sonhada vaga. Em apenas um ponto eu sou inflexível: Esse tipo de bolsa é para vagabundo… leia a matéria:

O programa de cotas que vai ser implantado nas universidades paulistas, será semelhante ao adotado nas federais, mas contará com duas novidades: a concessão de bolsas de estudo de um salário mínimo e a criação de um curso preparatório, de dois anos.

De acordo com o diretor executivo do Movimento Educação e Cidadania de Afrodescendentes e Carentes (Educafro), frei David Santos, o governador do Estado, Geraldo Alckmin, se comprometeu a apoiar um programa de inclusão social e racial na Universidade de São Paulo (USP), na Universidade Estadual Paulista (Unesp) e na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Ainda segundo frei David, Alckmin quer um programa mais avançado e com mais qualidade.

Ele [o governador] vai conceder a toda pessoa que entrar na universidade pela cotas, cuja renda familiar per capita seja de um salário mínimo e meio, uma bolsa permanente de um salário mínimo por pessoa, disse frei David.

A medida, de acordo com a Educafro, é uma inovação.

Esse é um pedido que fizemos ao governo federal, e o governo federal ainda não nos atendeu.  Isso, o governador falou que vai atender e já falou para os reitores que vai atender.

No dia 29/11, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante anunciou a intenção do governo em conceder bolsas aos alunos que entrarem nas universidades federais por meio de cotas.

Outro benefício, aceito pelo governador, será o de criar para os alunos cotistas um curso, ainda sem nome, de dois anos, na Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp), que servirá de porta de entrada para USP, Unesp e Unicamp.

O governo de São Paulo está criando mais um curso, tipo college norte-americano. O aluno que terminar o college, que é uma graduação de dois anos, pode fazer o que quiser da vida. Mas também pode solicitar ingresso imediato na USP, Unesp e Unicamp, sem vestibular, em qualquer curso, até medicina, disse frei David.

Ainda segundo o diretor, Alckmin escolheu o professor Carlos Vogt, que atualmente comanda a Univesp, para coordenar o processo de implantação do programa de ação afirmativa.

Como as universidades paulistas têm autonomia administrativa, o novo programa de inclusão deverá passar obrigatoriamente pelos conselhos universitários de cada instituição.

O próximo passo deverá ser o governador ir a público e dizer para a sociedade que ele, como governo do estado, entende que esse programa precisa ser aplicado e entregue a cada universidade para discussão. E aí, se a universidade disser não, estará evidenciado onde está o problema, destacou.

A assessoria de imprensa do governo do estado de São Paulo confirmou apenas que o governador convocou os reitores das universidades para debater o assunto e que a receptividade foi boa. Agora, o governo espera uma proposta unificada dos reitores, que deve ser apresentada nos próximos dias.

Nas universidades e institutos federais, a Lei de Cotas prevê a reserva de, no mínimo, 50% das vagas para estudantes que tenham cursado todo o ensino médio em escolas da rede pública, com distribuição proporcional das vagas entre negros, pardos e indígenas. A lei determina ainda que metade das vagas reservadas às cotas sociais – ou seja 25% do total da oferta – sejam preenchidas por alunos que venham de famílias com renda de até um salário mínimo e meio per capita. O prazo para cumprimento da lei é quatro anos.

Aí eu pergunto: ao invés de conceder as bolsas nas universidades públicas, não era mais fácil, mais proveitoso e muito mais justo usar este valor nas escolas públicas que estão preparando os alunos? Com esse “projeto” podre, o governo não está metendo os pés pelas mãos e afundando mais ainda a qualidade de ensino brasileira? Vejam a posição do Brasil no ranking da educação mundial e concluam… pra quem ainda não sabe, as escolas estaduais não podem mais reprovar… tem aluno de 4ª série que ainda não sabe ler e escreve o próprio nome apenas se for copiado…

Oquê esperar de um país onde seus governantes preferem ganhar uma eleição ao invés de ter a consciência limpa?

#AcordaBrasil!